Rio paga salários de outubro e 13º do ano passado

O governo do estado do Rio de Janeiro vai pagar hoje (20) o 13º salário de 2016 e os salários de outubro de 2017 que estavam pendentes para parte do funcionalismo público. Os recursos são provenientes da operação de crédito de R$ 2,9 bilhões, envolvendo a futura privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), que serão destinados exclusivamente para os pagamentos dos servidores.

Segundo nota divulgada pelo governo do estado, será depositado R$ 1,8 bilhão líquido. “Todos os pagamentos serão efetuados com os R$ 2 bilhões provenientes da primeira parte do empréstimo de R$ 2,9 bilhões do BNP Paribas ao governo do estado”, destacou a nota.

Para quitar o 13º salário de 2016, serão depositados R$ 1,231 bilhão para 249.927 servidores ativos, inativos e pensionistas, que ainda não haviam recebido o abono. Já haviam recebido o abono 245 mil servidores ativos.

Serão depositados hoje R$ 567,8 milhões, referentes aos salários de outubro, para 209.917 funcionários ativos, inativos e pensionistas. Mais 255.810 servidores ativos, inativos e pensionistas já haviam recebido.

Na quinta-feira (21), será pago o 13º salário de 2017 para os 79.864 servidores ativos da Educação e do Departamento Geral de Ações Sócio Educativas (Degase). Todos os pagamentos que ocorrerão hoje e quinta-feira serão efetuados ao longo do dia, mesmo após o término do expediente bancário, informou o governo.

“O estado aguarda para até 60 dias, a partir da data de assinatura do contrato com o banco, ocorrido na última sexta-feira (15), a liberação dos R$ 900 milhões que complementam o valor total do empréstimo para pagar as pendências da folha dos servidores. O Governo do Rio está empenhado para que este recurso seja liberado pelo BNP Paribas o mais rapidamente possível”, disse, em nota.

CEDAE

Ontem, a juíza Maria Gabriela Nuti, da 57ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT), abriu mais um capítulo na novela da privatização da Cedae. Ela concedeu uma liminar suspendendo o processo de venda da companhia, atendendo a pedido do sindicato da categoria, o STECNON-RJ. A mesma juíza concedeu em 29 de setembro uma liminar, que suspendeu a licitação temporariamente – mas a liminar foi cassada, em recurso do Governo do Estado.

 

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil