Mortes por febre amarela chegam a 25 no Estado

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro confirmou ontem mais uma morte por febre amarela no estado. O caso aconteceu no município de Paulo de Frontin no sul fluminense. O estado já registrou 25 mortes e 55 casos da doença, de acordo com a Secretaria. Além de Paulo de Frontin, foram registradas mortes em Valença (seis), Teresópolis (quatro), Nova Friburgo (três), Rio das Flores (duas), Sumidouro (duas), Cantagalo (duas), Angra dos Reis (duas), Miguel Pereira (uma), Paraíba do Sul (uma) e Carmo (uma).

A maior parte dos casos foi registrada nas cidades de Valença (16), Teresópolis (sete), Nova Friburgo (seis), Sumidouro (cinco), Angra dos Reis (quatro) e Cantagalo (três). Os seguintes municípios registraram dois casos: Duas Barras, Rio das Flores e Carmo.

Também foram registrados casos, sem óbitos, nas cidades de Petrópolis, Vassouras, Maricá, Paty do Alferes e Mangaratiba. A Secretaria de Saúde também registrou cinco casos de macacos infectados nas cidades de Niterói, Angra dos Reis (na localidade de Ilha Grande), Barra Mansa, Valença e Miguel Pereira.

 

SITE

A Secretaria de Saúde lançou as versões em inglês e espanhol do canal www.febreamarelarj.com.br. Voltadas para o público internacional, visitantes do Estado do Rio de Janeiro, as páginas – que podem ser acessadas pelos endereços www.yellowfever.com.br e www.fiebreamarilla.com.br – trazem perguntas e respostas sobre a doença, a vacinação e material da campanha #temquevacinar.

A recomendação é que pessoas que vão visitar ou se hospedar em regiões de mata, rios e cachoeiras, habitat natural dos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes, vetores da doença, vacinem-se pelo menos dez dias antes de se deslocarem para esses locais. Desde abril de 2017, a Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu todo o Estado do Rio em área de recomendação vacinal contra a febre amarela.

 

 

Foto: André Gomes de Melo / Divulgação