Forças Armadas voltam à Rocinha para apoiar a PM

As Forças Armadas retornaram ontem (10) à comunidade da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro, para auxiliar a polícia em buscas no entorno da favela. Segundo a Secretaria Estadual de Segurança, os militares estão dando “apoio técnico” à Polícia Militar (PM) em ações de varredura na mata que faz limite com a comunidade.

Na madrugada de ontem, uma mulher foi presa e duas adolescentes, apreendidas dentro de um ônibus. Elas estavam com drogas e anotações sobre atividades criminosas, na Estrada da Gávea. No fim de setembro, as Forças Armadas já tinham ocupado setores da Rocinha por uma semana, também para auxiliar a polícia fluminense.

As Forças Armadas foram chamadas em setembro para ocupar a Rocinha, depois que grupos criminosos rivais entraram em confronto armado pelo controle dos pontos de venda de drogas ilícitas da comunidade.

Na segunda-feira (9), novos confrontos entre policiais e criminosos foram registrados na favela. Segundo a PM, dois corpos foram localizados na Rua 1. Mais de 500 policiais militares ocupam atualmente a Rocinha.

A operação das Forças Armadas buscava encontrar armamentos e materiais escondidos na área da mata, como explicou o porta-voz do Comando Militar do Leste, coronel Roberto Itamar. Para o trabalho, foram mobilizadas equipes de engenharia dos Fuzileiros Navais e da Polícia do Exército, que vasculham pontos definidos pelas equipes de inteligência.

“Essas ações são realizadas por equipes de engenharia, pessoal técnico especializado nesse tipo de busca, com detectores de metais e e outros tipos de detectores de materiais químicos”, disse o militar.

 

Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil