Fifa pune presidente da CBF com 90 dias de suspensão

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, foi punido ontem (15) pelo Comitê de Ética da Federação Internacional de Futebol (Fifa), com uma suspensão de 90 dias. Durante esse período, ele não poderá participar de quaisquer atividades relacionadas ao futebol tanto no Brasil como no exterior.

Segundo o comunicado divulgado pela Fifa, a punição de Del Nero pode ser prorrogada por mais 45 dias. A decisão foi tomada a pedido da câmara de investigações do Comitê de Ética, que apura irregularidades cometidas por Del Nero. Ele é um dos nomes citados com líder de um esquema de corrupção no futebol brasileiro, em julgamento que envolve vários dirigentes, inclusive o ex-presidente da CBF José Maria Marín, em Nova Iorque.

O vice-presidente Antônio Carlos Nunes de Lima, conhecido como coronel Nunes, assumirá interinamente a presidência da entidade. A CBF foi notificada da decisão do Comitê de Ética da Federação Internacional de Futebol (Fifa), e cumpriu a decisão imediatamente, e seguiu o estatuto da entidade para determinar a substituição, já que Nunes é o vice-presidente com mais idade.

No início de janeiro de 2016, o coronel Nunes já tinha assumido a presidência no lugar de Del Nero, que “por motivos de ordem pessoal” pediu licença voluntária por período de até 150 dias. Embora seja presidente da Federação de Futebol do Pará, Nunes foi eleito vice-presidente da região Sudeste, no dia 16 de dezembro de 2015, como candidato único. Na época, a eleição dele gerou polêmica. Na véspera, o pleito estava sob ameaça de não ocorrer por causa de uma decisão da Justiça suspendendo a assembleia geral, mas no dia seguinte uma outra decisão acatou o pedido da CBF para a realização da eleição. Havia contestação também da proximidade entre Del Nero e o coronel Nunes.

DEL NERO

Afastado agora e sem poder deixar o país, já que há grandes chances de ser preso a pedido de autoridades dos Estados Unidos, Marco Polo Del Nero, em 16 de abril de 2014, foi eleito presidente da Confederação Brasileira de Futebol. Antes, ele foi presidente da Federação Paulista de Futebol de agosto de 2003 a abril de 2015,  e ficou conhecido por uma política de fortalecimento do futebol do interior e das Ligas do Estado de São Paulo.

Formado em Direito pela Universidade Mackenzie em 1967, Marco Polo Del Nero especializou-se na área de Direito Penal, atividade que exerce até hoje. No período universitário foi presidente do Partido Acadêmico Realizador (PAR) e participou de diversos movimentos em favor da democratização do País.

Em 1971, Marco Polo Del Nero intensificou suas atividades no meio esportivo, quando foi nomeado diretor da Comissão de Sindicância da Sociedade Esportiva Palmeiras. Também no Palmeiras exerceu as funções de diretor jurídico, diretor de Futebol e secretário do Conselho de Orientação e Fiscalizador , além de ser indicado como benemérito e conselheiro vitalício.

Em 1985, Marco Polo Del Nero passou a integrar o Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol e presidiu o TJD de 1988 a 2002 e no ano seguinte foi eleito vice-presidente da FPF. Em 2006 foi indicado pela Confederação Brasileira de Futebol para ser o Chefe da Delegação da Seleção Brasileira na Copa do Mundo da Alemanha.

 

Foto: Rafael Ribeiro / CBF