Ex-trabalhadores do Comperj protestam em Itaboraí

ITA-0201siteAproximadamente 150 ex-trabalhadores do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) realizaram na manhã desta terça-feira (18/04) uma manifestação em frente ao prédio da Prefeitura de Itaboraí, no Centro da cidade. O grupo, muitos vestindo camisas com dizeres “Pelo retorno das obras da Petrobras” e “Volta Comperj”, e ainda com carro de som e microfone, protestou pela volta das obras do empreendimento, gerido pela Petrobras.

Em seu gabinete, o prefeito de Itaboraí, Dr. Sadinoel Souza ouviu o protesto e desceu para conversar com os manifestantes. Muito aplaudido, o prefeito falou sobre as dificuldades do município, o desemprego e se colocou a disposição para ajudar na luta dos trabalhadores. Segundo o prefeito, assim que assumiu a prefeitura, o chefe do executivo teve um encontro com o presidente da Petrobras, Pedro Parente.

“O presidente da Petrobras garantiu a volta das obras do Comperj para o segundo semestre deste ano. Eu sei do anseio e da necessidade de emprego que vocês precisam. E estou à disposição para recebê-los sempre que quiserem, nunca me escondi e nunca me esconderei. Em três meses de gestão, a Prefeitura teve que pagar cinco folhas funcionais, além de funcionários terceirizados, que não tinham nem contrato. Estamos querendo efetuar os pagamentos em dia, para pelo menos o trabalhador, que está empregado via prefeitura possa movimentar o comércio da cidade. Hoje temos uma folha de pagamento mensal em torno de R$ 17 milhões e recebemos aproximadamente R$ 20 milhões. Não temos um centavo para fazer investimento na cidade”, enfatizou Sadinoel.

Um dos organizadores do protesto, Bruno Safort, parabenizou o prefeito pelo ato de recebê-los. “Sadinoel foi um dos únicos gestores que nos recebeu, e está disposto a nos ajudar. Hoje saímos daqui mais esperançosos”, disse Bruno.

Após o calor da emoção, o prefeito recebeu uma comissão, com 10 ex-trabalhadores do Comperj, no Salão Nobre da Prefeitura, e agendou um próximo encontro para o dia 2 de maio, às 15h, na própria sede da Prefeitura. Ficou acordado que os manifestantes irão trazer um documento com a pauta de assuntos a serem discutidos.

 

Foto: Sandro Giron / Divulgação