Botafogo tenta recuperar a confiança para a decisão

Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo.

Após o treino desta sexta-feira, no Estádio Nilton Santos, os jogadores do Botafogo permaneceram no campo anexo para uma reunião com o presidente Nelson Mufarrej, o vice de Futebol Gustavo Noronha e o vice Executivo Luis Fernando Santos. Após a atividade o meia Renatinho concedeu entrevista coletiva e ressaltou o apoio da diretoria no momento de dificuldade da equipe. O jogador, assim como todo elenco, sabe da responsabilidade diante do Flamengo e falou em retomar a confiança para ir à final. Alguém pagará a conta.

“Tivemos mesmo essa conversa com o Presidente e ele nos apoiou, nos deu confiança para esse jogo importante que teremos. Falou sobre essa fatalidade que foi a eliminação na Copa do Brasil e sabemos da responsabilidade que temos. Foi difícil dormir, mas passou, não podemos mudar isso, só que uma vitória contra o Flamengo pode melhorar um pouco essa situação”, disse Renatinho.

O meia também falou da expectativa para atuar no clássico. Renatinho chegou ao Botafogo após o trabalho iniciado na pré-temporada e, mesmo sem estar 100% fisicamente, agradou o torcedor nas vezes que entrou em campo. Forte candidato por um lugar entre os titulares.

“Fisicamente estou bem, uns 90%, mas ainda não está definido o time para amanhã. Espero que eu esteja nesse bolo. Vamos ver na lista amanhã. Espero que sim”, falou o meia. “Estou 90% condicionado. O professor Felipe ainda não definiu a equipe e estou com uma esperança, né. Vamos ver”.

Renatinho afirma que, quando os bons resultados não acontecem, a pressão acontece:

“Essa pressão é natural e tem que acontecer mesmo após a eliminação que tivemos. Estamos conscientes e sabemos que temos que mostrar dentro de campo o nosso melhor. Vamos em busca dessa classificação”, disse.

Mas o meia disse que nunca tinha passado por incidentes como o que aconteceu na chegada da delegação ao Rio, após a derrota para a Aparecidense, no meia da semana.

“Confesso que foi a primeira vez. Particularmente fiquei assustado com a situação. Uma das janelas que eu estava foi atingida e só não pegou em mim por parar na cortina”, lembrou.

 

Foto: Vítor Silva/SS Press/Botafogo